CONHECIMENTO ETNOBIOLÓGICO DE UMA COMUNIDADE RURAL COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA MATERIAL INFORMATIVO-EDUCATIVO

Marcos Paulo Moreira, David Fernandes de Souza, Elisangela Andrade Angelo

Resumo


A Etnobiologia é uma área interdisciplinar que busca analisar e estudar a forma como determinadas culturas interagem com o meio biológico, tendo como princípio a valorização dos conhecimentos culturais. Os estudos etnobiológicos e das percepções ambientais podem ser úteis para a elaboração de projetos de educação ambiental mais contextualizados. Dessa maneira, o presente trabalho teve por objetivo realizar um levantamento dos conhecimentos etnobiológicos de moradores da Vila Rural Dezenove de Dezembro, município de Alto Piquiri, noroeste do Paraná, Brasil. Além disso, o trabalho teve por objetivo criar um material informativo educativo que considera os saberes locais. Inicialmente, fez-se uma revisão bibliográfica sobre a localidade, seguida de entrevistas narrativas utilizando-se as metodologias de bola de neve e o conceito de saturação. O material das entrevistas foi estudado com base na Análise Textual Discursiva. Como resultado, os moradores entrevistados listaram diversos animais silvestres, sendo que muitos demonstram uma interação afetiva com determinadas espécies, principalmente com os passarinhos. No entanto, foi possível perceber certa repulsa e alguns conflitos em relação às serpentes. Ficou evidente que os entrevistados tinham consciência dos impactos da ação antrópica sobre a localidade onde vivem. Porém, essa percepção, muitas vezes, é tida afastada da esfera pessoal, com uma postura mais reativa que propositiva. Notou-se, ainda, que há vários elementos culturais, tais como crendices e causos a respeito da fauna. Com base nas entrevistas e no levantamento bibliográfico realizado, foi elaborada uma cartilha educativo-informativa. Esse material buscou fortalecer o sentimento de pertencimento, valorizar o conhecimento local, mas também esclarecer alguns pontos que possam levar a conflitos com a fauna. Dessa maneira, procurou-se construir um material de educação ambiental a partir do contexto local, valorizando seus aspectos culturais.


Palavras-chave


conhecimento popular, contextualização, educação ambiental, etnozoologia, percepção ambiental

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U. P. de. Etnobiologia: Bases ecológicas e evolutivas. 2. Ed. Recife: NUPEEA, 2018a. 208p.

ALBUQUERQUE, U. P. de. Introdução à etnobiologia. 2. Ed. Recife: NUPEEA, 2018b. 288p.

ALVES, A. G. C. et al. Conhecimento local e produção animal: uma perspectiva baseada na Etnozootecnia. Archivos de Zootecnia, Córdoba, v. 59, n. R, p. 45-56, 2010. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2020.

ARAUJO, D. F. S.; LUNA, K. P. O. Os Répteis e sua Representação social: uma Abordagem Etnozoologica. Ethnoscientia, [s.l.], v. 2, n. 1, p. 1-15, 31 jul. 2017. Disponível em: . Aceso em: 30 maio 2020.

BRANDÃO, C. R. A educação como cultura. Campinas: Mercado de Letras, 2002. 255p.

BRITTO JÚNIOR, Á. F. de; FERES JÚNIOR, N. A utilização da técnica da entrevista em trabalhos científicos. Revista Evidência, Araxá, v. 7, n. 7, 237-250, 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

CADIMA, C. I.; MARÇAL JUNIOR, O. Notas sobre etnoornitologia na comunidade do Distrito rural de Miraporanga, Uberlândia, MG. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 20, n. 1, jan/abr 2004. Disponível em: Acesso em: 30 maio 2020.

CARDOSO, D. et al. Espacialidades e ressonâncias do patrimônio cultural: reflexões sobre identidade e pertencimento. Got - Journal Of Geography And Spatial Planning, [s.l.], v. 1, n. 11, p. 83-97, 30 jun. 2017. Disponível em:. Acesso em: 30 maio 2020.

CHAGAS, F. B. A Etnobiologia na Educação Escolar: proposta de interação entre o conhecimento científico e popular. 2013. Monografia (Especialização em História da Ciência) – Campus Erechim, Universidade Federal da Fronteira Sul. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2020.

COSTA, R. G. A. Os saberes populares da Etnociência no ensino das Ciências Naturais: uma proposta didática para aprendizagem significativa. Revista Didática Sistêmica, Porto Alegre, v. 8, p. 162-172, jul.-dez. 2008. Disponível: . Acesso em: 7 jul. 2020.

CUNHA, A. S.; LEITE, E. B. Percepção ambiental: implicações para a educação ambiental. Sinapse Ambiental, [S. l.], set. 2009, 66-79. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

FACHIN, O. Fundamentos de Metodologia. 5. Ed. São Paulo: Saraiva, 2006. 209p.

FERNANDES-FERREIRA, H., et al. Crenças associadas a serpentes no estado do Ceará, Nordeste do Brasil. Sitientibus série Ciências Biológicas, [s.l], v. 11, n. 2, 153–163. Set. 2011.

FONTANELLA, B. J. B. et al. Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 27, p. 388-394, out. 2011. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

FREITAS, F.; S. de. A diversidade cultural como prática na educação. Curitiba: InterSaberes, 2012. 140p.

IBAMA, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Centros de Triagem de Animais Silvestres (Cetas). 2016. Disponível em: < https://www.ibama.gov.br/fauna-silvestre/cetas/o-que-sao-os-cetas#devolvidos> Acesso em: 30 maio 2020.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2019. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

IPARDES, Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Caderno Estatístico Município De Alto Piquiri. 2019. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

JERONIMO, B. C. A educação ambiental na preservação de serpentes. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Biológicas) - Instituto de

Biociências, Universidade Estadual Paulista, Botucatu. Disponível em: Acesso em: 20 maio 2020.

KOSZELA, I. C.; RAMOS, O. F. Experiências da comunidade caiçara: condições de pertencimento à comunidade rural de Guaratuba/PR. In: Secretaria da Educação Governo do Estado do Paraná. O professor e os desafios da escola pública paranaense. Curitiba: SEED, 2012, v. 2, p. 2-23. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

LIMA, B. S. et al. Investigando o conhecimento etnoherpetológico dos cafeicultores sobre as serpentes do município de Inconfidentes, Mingas Gerais. Ethnoscientia, [s.l.], v. 3, p. 1-13, 11 mar. 2018. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2020.

LINS, J. et al. Construindo uma proposta metodológica de pesquisa participativa a partir do diálogo entre Educação do Campo e Etnobiologia. Revista Diálogos, Cuiabá, v. 12, p. 47-56, abr. 2011.

MARQUES, J. G. W. “Do canto bonito ao berro do bode”: percepção do comportamento de vocalização em aves entre camponeses alagoanos. Revista de Etologia, [s.l.], ed. especial, 71-85, 1998. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

MARQUES, J. G. W. “Pássaro é bom para se pensar”: simbolismo ascensional em uma Etnoecologia do Imaginário. Revista Incelências, [s.l.], v. 1, n. 1, 2-17, nov. 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C. Análise Textual Discursiva. 3 Ed. Ijuí: Unijui, 2016. 264p.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, [s.l], v. 9, n. 2, p.191-211, 2003. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

MOURA, M. R., et al. O relacionamento entre pessoas e serpentes no leste de Minas Gerais, sudeste do Brasil. Biota Neotropica, [s.l.], v. 10, n. 4, 133-141, 2010. Disponível em: Acesso em: 30 maio 2020.

MUYLAERT, C. J. et al. Entrevistas narrativas: um importante recurso em pesquisa qualitativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 48, esp. 2, 184-189, 2014. Disponível em:< https://www.revistas.usp.br/reeusp/article/view/103125/101472>. Acesso em: 30 maio 2020.

OLIVEIRA, K. A.; CORONA, H. M. P. A percepção ambiental como ferramenta de propostas educativas e de políticas ambientais. Revista Científica ANAP Brasil, [s.l.], ano 1, n. 1, 53-72, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

PARANÁ. COPEL. Estudo de Impacto Ambiental UHE Apertados. Curitiba: Copel, 2012. Disponível em: . Acesso em: 07 jul. 2020.

PARANÁ. Coordenadoria Estadual da Defesa Civil – Mapa. Curitiba: Defesa Civil, 2020. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2020.

PRADO, H. M.; MURRIETA, R. S. S. A etnoecologia em perspectiva: origens, interfaces e correntes atuais de um campo em ascensão. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 18, n. 4, 139-160, 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

ROSA, M.; OREY, D. C. Aproximando diferentes campos de conhecimento em educação: a Etnomatemática, a Etnobiologia e a Etnoecologia. Vydia, Santa Maria, v. 34, n. 1, p. 1-14, jun.-jul. 2014. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2020.

SANTOS, C. A. B. et al. Do mau agouro à arte: a coruja no imaginário popular. Revista de Educação do IDEAU, Bagé, v. 10, n. 22, 1-13, jul./dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

SANTOS-FITA, D; COSTA NETO, E. M. As interações entre os seres humanos e os animais: a contribuição da etnozoologia. Biotemas, Florianópolis, v. 20, n. 4, p. 99-110, dez. 2007. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2020.

SILVA, T. R. A Etnobiologia Utilizada Como Ferramenta Para A Prática Da Educação Ambiental. Revista Sergipana de Educação Ambiental, Aracajú, v. 1, n. 3, 142-152, 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

SOUZA PERRELLI, M. A. et al. Saberes tradicionais sobre as serpentes e implicações para educação ambiental intercultural. Série-Estudos-Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, Campo Grande, n.30, 363-381, jul./dez. 2013. Disponível em:. Acesso em: 30 maio 2020.

TRÉZ, T. A. Feyerabend, interculturalismo e etnobiologia: algumas possíveis articulações no ensino de Biologia. Biotemas, Florianópolis, v. 24, n. 3, p. 128-140, set. 2011. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2020.

VINUTO, J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, Campinas, n. 44, ano 22, 201-2218, ago./dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.

ZACARIAS, E. F. J.; HIGUCHI, M. I. G. Relação pessoa-ambiente: caminhos para uma vida sustentável. Interações, Campo Grande, v. 18, n. 9, 121-129, jul./set. 2017. Disponível: . Acesso em: 30 maio 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.22276/ethnoscientia.v5i1.305

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Ethnoscientia

ISSN 2448-1998

www.ethnoscientia.com